Xô, mal humor!


Corpo cansado, noites mal dormidas e aquele mau humor que te acompanha o dia inteiro… Tudo isso pode ser efeito do sedentarismo, sabia? Além dos inúmeros benefícios à saúde, praticar alguma atividade física pode trazer mais uma vantagem: o bom humor!

Os exercícios físicos dão estímulo cerebral para a liberação de substâncias calmantes chamadas endorfinas. Elas têm o papel de aliviar a dor e criar uma sensação de bem estar. Isso explica o bom estado de espírito tão comum em atletas que se exercitam diariamente sem perder o ritmo.

Uma pesquisa recente da Universidade de Vermont concluiu que o efeito das endorfinas no cérebro pode durar até 12 horas após a atividade física, ou seja, realizá-la logo pela manhã é a receita para um ótimo dia! Mas o bom humor não é o único efeito das endorfinas no cérebro. Elas também melhoram a memória, aumentam a resistência, a disposição física e mental, bloqueiam lesões nos vasos sanguíneos e têm um poder antienvelhecimento.


(Fonte: Studio 3)




Por que fazer alongamentos?


"Alongamentos são exercícios voltados para o aumento da flexibilidade muscular, que promovem o estiramento das fibras musculares, fazendo com que elas aumentem o seu comprimento. O principal efeito dos alongamentos é o aumento da flexibilidade, que é a maior amplitude de movimento possível de uma determinada articulação. Quanto mais alongado um músculo, maior será a movimentação da articulação comandada por aquele músculo e, portanto, maior sua flexibilidade.
Segundo Bruna Joaquim Carneiro, professora de educação física e nutricionista, o alongamento é uma prática fundamental para o bom funcionamento do corpo, proporcionando maior agilidade e elasticidade, além de prevenir lesões.
Essencial para o relaxamento dos músculos, deve ser uma atividade incorporada ao exercício físico, mas também pode ser praticado sozinho.
Qualquer pessoa pode aprender a fazer alongamentos, independentemente da idade e da flexibilidade, segundo Bruna Caneiro, mesmo quem apresenta algum problema específico, como LER ou hérnia de disco, também pode fazer alongamentos, mas com menos intensidade. Não é preciso grande condição física ou habilidades atléticas. Quando feitos de maneira adequada, os alongamentos trazem os seguintes benefícios:

-reduzem as tensões musculares;
-relaxam o corpo;
-proporcionam maior consciência corporal;
-deixam os movimentos mais soltos e leves;
-previnem lesões;
-preparam o corpo para atividades físicas;
-Ativam a circulação.

Por que fazer alongamentos?

Tanto uma vida sedentária, como a prática de atividade física regular intensa, em maior ou menor grau, promovem o encurtamento das fibras musculares, com diminuição da flexibilidade. Quanto à atividade física, esportes de longa duração como corrida, ciclismo, natação, entre outros, fortalecem os músculos, mas diminuem a sua flexibilidade. Nos dois casos, a consequência direta desse encurtamento de fibras é a maior propensão para o desenvolvimento de problemas em ossos e músculos. Provavelmente, a queixa mais freqüente encontrada tanto entre sedentários, como entre atletas, é a perda da flexibilidade provocando dores lombares, por encurtamento da musculatura das costas e posterior das coxas, associado a uma musculatura abdominal fraca.
Com a prática regular de alongamentos os músculos passam a suportar melhor as tensões diárias e dos esportes, prevenindo o desenvolvimento de lesões musculares."

(Revista Saúde é vital! Estique a sua saúde. Edição de Junho/2002.)




O que é Powerhouse?


Tenho certeza que meus alunos sabem o que é, mas não sabem que sabem!
Isto porque não costumo utilizar conceitos em inglês durante as aulas - acho que acaba confundindo mais do que auxiliando. Enfim, o "powerhouse" ou casa de força, nada mais é do que aquele famoso conjunto de músculos que eu tanto insisto para vocês contraírem durante os exercícios. Lembraram?
Apesar de não usar esse termo em seus livros, Joseph Pilates sempre enfatizava a importância da contração consciente dos músculos ABDOMINAIS e dos GLÚTEOS na descrição dos seus exercícios. Para Romana Kryzanowska, discípula direta de Joseph, o centro de força seria "a área entre a parte inferior da caixa torácica e a linha dos quadris", composto pelos músculos abdominais, lombares e glúteos, os quais formam a estrutura de apoio para a coluna e pelve. Já Inelia Garcia que, por sua vez, é discípula de Kryzanowska, acrescentou a este conjunto os músculos do assoalho pélvico, diafragma e os internos da coxa.


Mas por que você deve acionar essa musculatura toda, afinal? Ora, os motivos são vários:

- "Proporciona uma respiração mais eficiente;
- Estabiliza a coluna lombar;
- Ajuda a alongar e alinhar a coluna, melhorando a postura;
- Auxilia na prevenção das incontinências urinária e fecal;
- Alivia e/ou elimina as dores e demais desconfortos na coluna, ao promover a descompressão da área afetada, o reequilíbrio, o alongamento e o fortalecimento dos músculos da região;
- Melhora o equilíbrio;
- Propicia maior estabilidade, controle, precisão e potência aos movimentos dos membros superiores e inferiores;
- Organiza e protege as principais articulações, como ombros, cinturas escapular e pélvica; e
- Ajuda a definir a musculatura do abdome." (The Pilates Studio Brasil).





Agachamento nas aulas de Pilates


Taí um dos queridinhos das meninas na prática diária de exercícios. O agachamento é muito utilizado, seja nas academias ou nas aulas de ginástica localizada. No pilates ele também pode aparecer, tanto no solo quanto nos aparelhos, às vezes em pé e até mesmo na posição deitada. Resumindo: trata-se de um exercício bem completo além de ser funcional, afinal de contas, no nosso dia a dia o agachamento é o gesto que necessitamos fazer para sentar e levantar da cama, do sofá, da cadeira...
Mas sua fama tem lá seus pontos negativos. Muitos acreditam que ele é altamente lesivo, sendo o vilão dos joelhos, principalmente. E agora? Faço ou não faço?

Uma pequena dica: "Não existem exercícios contra-indicados, mas pessoas contra-indicadas a determinados exercícios", diz Silvia Gomes. Na dúvida, converse sempre com o profissional da saúde de sua confiança.

(Referência: blog Pilates Silvia Gomes)





Pilates x Musculação


Chega de briga, vamos fazer as pazes!

Pilates e musculação formam um belo casal, sim. Apesar de terem lá suas divergências e seus temperamentos forem um pouco diferentes, eles podem viver juntos para sempre.

Por um lado, a musculação tende a priorizar o fortalecimento e aumento de resistência e massa muscular mais superficial, isto é, aqueles músculos que se localizam mais superficialmente. Por outro lado, o pilates, apesar de se tratar de um método global, tem um foco muito específico no fortalecimento de músculos mais profundos, além de promover flexibilidade, equilíbrio,  estabilização das articulações e alinhamento postural.

Assim, cada um oferecendo aquilo que tem de melhor, não há motivos para brigar. As atividades se complementam tranquilamente e trazem aos seus praticantes tanto uma excelente estética como uma saúde de ferro.
Portanto, pode investir nesse casamento, pois esse vai dar Bodas de Ouro!


Por que fazer Pilates?


Ao se deparar com a dúvida sobre qual modalidade de exercícios colocar em prática, você já pode ter se perguntado: "se não emagrece e nem faz minha musculatura 'crescer', por que eu optaria pelo Pilates?" Afinal, hoje em dia parece que o único motivo plausível para a prática de atividade física é o de emagrecer ou ficar musculoso.
Para responder a essa pergunta, vou lhe fazer outra: qual a primeira conduta a ser tomada em relação ao seu carro quando você decide fazer uma viagem? ALINHAMENTO e BALANCEAMENTO, certo? Para não correr o risco de ficar na estrada devido a uma pane, você deixa o carro preparado para longas horas andando, por vezes, subindo e descendo ladeiras, andando por terrenos irregulares, que exigem muito de sua performance. Sem contar a 'bagagem extra' (sobrepeso) que está no porta-malas, desequilibrando e exigindo ainda mais dele.
Com o nosso corpo acontece algo muito parecido; para realizarmos nossas tarefas diárias, nossa corridinha ao final da tarde, a sessão de musculação e até mesmo uma caminhada mais acelerada, é importantíssimo estarmos com nosso corpo preparado para os 'terrenos irregulares' e 'bagagem extra' do dia a dia. As fraquezas musculares, sobrepeso, desvios posturais e articulares podem influenciar, e muito, na incidência de lesões durante o exercício, principalmente se ele for de alto impacto.
E aí é que o Pilates entra! Ele serve, num nível mais básico, para preparar nosso corpo, ele é o alinhamento e balanceamento que precisamos. É a manutenção diária para não te deixar na estrada. Pode investir! ;)


Pilates e escoliose


No século XIX, era essa a maneira como acreditava-se tratar a escoliose.
Hoje, sabemos que a forma mais eficiente para minimizar e até mesmo "curar" - em alguns casos - a escoliose, é fazendo o fortalecimento e alongamento da musculatura que envolve a região das costas, abdome e glúteos. 
Ao perceber os sintomas de dor das costas e desvio lateral da coluna, principalmente em crianças e adolescentes, é imprescindível iniciar um programa de exercícios específicos para esse problema, para que ele tenha maiores chances de ser revertido!